SERMÃO DO BOM LADRÃO DO PADRE ANTONIO VIEIRA ANO 1655

SERMÃO DO PADRE ANTONIO VIEIRA datado de 1655, tão atual.

1

Este sermão, que hoje se prega na Misericórdia de Lisboa, e não se prega na Capela Real, parecia-me a mim que lá se havia de pregar, e não aqui. Daquela pauta havia de ser, e não desta. E por quê? Porque o texto em que se funda o mesmo sermão, todo pertence à majestade daquele lugar, e nada à piedade deste.

Querem saber os reis se os que provêem nos ofícios são ladrões ou não? Observem a regra de Cristo: Qui non intral per ostium, jur est et latro (14). A porta por onde legitimamente se entra ao ofício, é só o merecimento. E todo o que não entra pela porta, não só diz Cristo que é ladrão, senão ladrão e ladrão:

Fur est latro. E por que é duas vezes ladrão? Uma vez porque furta o ofício, e outra vez porque há de furtar com ele. O que entra pela porta poderá vir a ser ladrão, mas os que não entram por ela já o são.

Uns entram pelo parentesco, outros pela amizade, outros pela valia, outros pelo suborno, e todos pela negociação. E quem negocia não há mister outra prova: já se sabe que não vai a perder. Agora será ladrão oculto, mas depois ladrão descoberto, que essa é, como diz S. Jerônimo, a diferença de fur a latro.

Justiça Injusta

Coisa é certo maravilhosa ver a alguns tão introduzidos e tão entrados, não entrando pela porta nem podendo entrar por ela. Se entraram pelas janelas, como aqueles ladrões de que faz menção Joel: Per fenestras intrabunt quasi fur (15), grande desgraça é que, sendo as janelas feitas para entrar a luz e o ar, entrem por elas as trevas e os desares. Se entraram minando a casa do pai de famílias, como o ladrão da parábola de Cristo: Si sciret pater familias qua hora fur veniret, non sineret perfodi domum suam(16), ainda seria maior desgraça que o sono, ou letargo do dono da casa fosse tão pesado que, minando-se-lhe as paredes, não o espertassem os golpes. Mas o que excede toda a admiração é que haja quem, achando a porta fechada, empreenda entrar por cima dos telhados, e o consiga, e mais sem ter pés, nem mãos, quanto mais asas.

Esta entrada foi publicada em Opinião. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a SERMÃO DO BOM LADRÃO DO PADRE ANTONIO VIEIRA ANO 1655

  1. Teca Janone disse:

    Olá Des Siro!!
    Excelente blog, mas achei esse espaço, infelizmente não para comentar suas postagens nesse momento, mas para saber como um processo com a prioridade de idoso, está desde 2007 para ser pago a precatória do IPERJ, sendo o senhor como relator?!Quando será pago? Minha sogra ja morreu, agora quem irá receber são os herdeiros se não morerem antes! Esse é o país que vivemos.
    Att,
    Maria Teresa

  2. Siro Darlan disse:

    NÃO POSSO SER RELATOR. ESSA CAUSA É CIVEL E SOU JUIZ CRIMINAL. HÁ ALGUM ERRO EM SUA POSTAGEM. VERIFIQUE E VOLTE ASSUNTO. OBRIGADO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.