“Os anormais somos nós.”

“Os anormais somos nós.”

SIRO DARLAN – Desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e Membro da Associação Juízes para a democracia.

Os pais de crianças portadores de Down reuniram-se para comemorar o Dia Internacional da Síndrome de Down e alguns pais emocionados deram depoimentos amorosos e comovidos afirmando-se felizes por viverem essa experiência como o senador Lindenbergh e o deputado Romário.
São depoimentos importantes para a promoção de um processo amplo de inclusão social e respeito aos portadores de necessidades especiais, mas é preciso maior ativismo de todos que detêm uma parcela de poder para que esse momento não esteja tão distante. É preciso uma consciência respeitosa dos administradores públicos na promoção de maior acessibilidade a rodos os lugares públicos e serviços de saúde, esporte e educação.
O maior exemplo de ativismo tornou-se público através da Escola de Samba Embaixadores da Alegria, que é a única escola de samba do mundo totalmente voltada para pessoas com qualquer tipo de deficiência e que utiliza o samba como instrumento de inclusão social e emocional. E foi emocionante ver pelo quarto ano consecutivo o desfile de abertura no sábado das Campeãs, quando 1800 componentes desfilaram em dois carros alegóricos, sendo um deles 100% adaptado, acompanhados de 50 profissionais da área da saúde e com uma super-bateria composta por 200 mulheres.
O projeto não se resume apenas nesse desfile anual, mas visa quebrar todas as barreiras de acessibilidade e os preconceitos de quem ainda os vê como incapacitados. Com muita alegria, que levaram muitos às lagrimas de emoção, os componentes conduzidos pelo casal de cadeirantes Mestre Sala e Porta Bandeira que portavam a bandeira da Escola com muito orgulho e uma bateria encantada pela leveza de sua rainha portadora de Down que nada fica devendo em charme e belezas às rainhas das outras grandes escolas cantaram o enredo “O Sol é Luz, Luz é Vida”.
Trazendo essa história do Rei Sol para a Avenida a Embaixadores da Alegria mostrou os quantos ainda estão nas trevas e o quanto esses seres especiais são capazes de nos iluminar. Cantaram que e hoje é Luz, é vida pra humanidade. O nascer do Sol nos traz a bonança, traz esperança. E nos manda um recado especial: Quando estiver na escuridão, minha alegria te ilumina. Que emoção! Sou desse jeito especial que contagia o seu coração.
Está na hora de vermos o quanto o carinho e o respeito podem fazer bem a essas criaturas tão especiais. Havia uma ala de portadores de doenças mentais do Hospital Pedro Segundo, cujas fantasias haviam sido confeccionadas pelos próprios foliões com a supervisão do dedicados profissionais da saúde. Quem assistiu viu como eles eram bons de samba enquanto os ruins da cabeça são aqueles que ainda insistem no preconceito de excluí-los de nosso convívio social e afetivo.
Terminavam o samba concitando-nos ao respeito ao combalido Planeta cantando “Filtro solar você não pode esquecer. O Planeta Terra anda bem quente. Até parece que ta fora do normal. Trate a natureza com carinho. E vem brincar no nosso carnaval. Vem sacudir essa avenida. O sol vai iluminar. Sou Embaixador da Alegria. Pode aplaudir, agora. Eu vou passar.
Os aplausos foram muitos, mais o exemplo é o que arrasta e o que se espera realmente é que todos sejam verdadeiros Embaixadores da Alegria, do respeito e da inclusão social de todos esses brasileiros especiais e tão queridos.

Esta entrada foi publicada em Opinião. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a “Os anormais somos nós.”

  1. Reconheço que achei seu blog ótimo, pois seus posts são sempre muito bem elaborados. Cansei de pesquisar mais notícias sobre esse assunto e você tirou tudo de letra. Já marquei nos favoritos seu blog e irei segui-lo daqui em diante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.